quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Um coração na minha caneca


Teve uma época em que fui muito ligada em misticismo, tarô, I Ching e tudo que pudesse aplacar minha ansiedade com relação ao futuro. Há muito isso passou. Entendi, depois de muitas lambadas, que é impossível ter controle de tudo e, mais recentemente, que os florais de Bach ajudam mais que as cartas do tarô quando a aflição com o futuro me atinge.


Ontem, entretanto, uma coisa curiosa me aconteceu e eu achei fofo me pegar - oportunamente, diga-se - acreditando que recebi um sinal, daqueles! Cheguei ao trabalho um pouco antes das 8 da manhã e, como de hábito, fui tomar café com uma colega que, ao me ver pegar minha caneca, brincou:

- Vou ler sua sorte na borra do café, disse ela, apanhando os cuponzinhos que nos dão direito a um café quentinho e pão na copa do Tribunal de Justiça. Eu ri e não pensei mais no assunto até às 11 horas quando, voltando de uma reportagem, dei com a Aline "Ota" tomando café na copa. Disse um oi rápido e corri pra pegar a caneca que havia deixado sobre a minha mesa pra ir tomar um café com ela.

- Caraca! - Foi tudo que eu consegui dizer quando vi que um coração perfeito estava nitidamente gravado no fundo do copo, como vocês podem conferir na foto. Não consegui controlar o sorrisão diante daquela "prova material" de que a felicidade e o amor estavam ali no fundo da minha caneca, bem no centro do meu destino.

- Um sinal!!!! - Me ouvi dizer, num tom entre a brincadeira e o espanto. Não lavei a caneca e desisti do café (fato raro!). Fotografei e mostrei pra todo mundo aquela marca no fundo, me certificando que eu não estava louca.

Mas, só hoje, vendo as fotos e pensando nessa minha fase mística, é que me lembrei porque acabei desistindo de advinhar futuros: descobri que os oráculos, sejam lá quais forem eles, apenas despertam o que sua alma já sabe.

4 comentários:

Andrea Regis disse...

os oráculos, sejam lá quais forem eles, apenas despertam o que sua alma já sabe.

Lindo isso!

p.s.: Logo tomaremos um café juntas para celebrar a vida (e o amor! Afinal, o que seria da vida sem ele?)

Beijo.

Mônica disse...

ai, ai, chego a suspirar lendo e vendo tudo isso...e só penso uma coisa: o amor é surpreendente e não reconhece barreiras de tempo nem de espaço!Beijocas

Tereza Cristina disse...

O que será a felicidade?

"Na vida material, a posse do necessário. Na vida moral, a consciência tranqüila e a fé no futuro".

Vale a pena acreditar! Adorei o blog.

Pablo Alcântara disse...

Rochhelly, queria comentar esse post há algum tempo. No trabalho não dá mais, bloqueara blogs. Virou a China. Olha, só posso dizer que o café é sábio. Eu confio no café.