terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Velas na janela

Assim que fizer noite acenderei pequenas velinhas e as colocarei na janela. Vou reproduzir, ainda que solitariamente, uma tradição linda da minha infância. Eu morava numa cidadezinha pequena e charmosa e, todo dia 2 de fevereiro, assim que a noite caía, velas e candeeiros acesos eram dispostos nas janelas em homenagem a Nossa Senhora das Candeias ou Nossa Senhora da Luz. Me lembro de me debruçar no peitoril da janela pra ver a rua toda iluminada e, ainda que eu não soubesse que aquilo remontava à purificação da Virgem, acho que era, justamente pureza, aquela sensação que enchia meu coração.

Hoje eu sei que a festa começou há milhares de anos e lamento que ela seja rejeitada por boa parte da população. Na época de Moisés, acreditava-se que mulheres que davam à luz ficavam impuras e, por causa disso, deviam comparecer até 40 dias após o nascimento de seus filhos a um templo carregando oferendas como cordeiros e pombos. Quando Maria, mãe de Jesus, foi se purificar, Simeão teria dito que seu filho seria a luz dos povos, daí a origem da história.

Trombei de novo com a tradição de Nossa Senhora das Candeias quando morei na Europa. Por lá, a vela é dada a mulher mais jovem da casa, que representa a virgem. Vestida de branco e com uma grinalda de flores na cabeça, ela acorda as pessoas da família para comerem crepes. Com isso, os mais antigos pensavam garantir uma boa colheita de trigo. La Chandeleur é bem familiar e aprazível, ainda que a maioria das famílias se atenha simplesmente à feitura dos crepes.

Me incomoda viver numa cidade que ignora tradições e cuja religião é a novela das oito. Mas, como ladrar apenas não muda meu destino, hoje acenderei velas na janela...

10 comentários:

Ana Manuela disse...

Também me incomoda viver em uma cidade em que poucas tradições são valorizadas. Por isso, às vezes, penso que por mais que as cidades do interior sejam monótonas, elas conseguem mostrar esses pequenos atos que depois fazem tanto sentido em nossas vidas.

Mônica Novaes disse...

Amiga, não conhecia a tradição e achei a história linda! Sabe como adoro velas e então, hoje vou me juntar a você e acender algumas também!! Beijão ( e saudade! quando vamos almoçar??)

Igor A. disse...

Dois de fevereiro? Agora a música do Caymmi faz todo sentido. Beijo, Line!

Luisa Dias disse...

Precisamos urgentemente delas, das tradições, dos caminhos já percorridos, da fé inabalável... Adorei a história e imaginei as velas acesas por aí. Tá sumida, o que foi?

Cristian de Almeida disse...

Também sinto falta de tradições da minha infância, meu aniversário por exemplo era uma festa só pois
é dia 27 de Setembro, dia de São Cosme e Damião (padroeiros das crianças) e todo ano tinha festa com bolos, doces e lembrancinhas na casa da saudosa dona Lazinha, pessoa incomparável que ajudou minha avó a cuidar de minha mãe e meus tios quando pequenos..acredito que a tradição se foi com ela à alguns anos atrás.. quem sabe um dia relembramos e começamos novamente o ciclo para nossos filhos?
bjo Aline !

Prospecção Novos Negócios disse...

Aline,

A forma com que escreve seus textos me encanta, suaviza e ao mesmo tempo me seduz.
A transparência na exposição das palavras, faz... nós poetas menos dotados de expressão, fazer de você uma referência na tradução daquilo que gostaríamos de manifestar.

Parabéns mais um vez,

Sinto-me grato por seguir você.

Rogério Magno.

Gracyelly disse...

Hoje vc acende as velas. Amanhã mais uma pessoa. Depois outra...e assim as tradições não se acabam.
Encantador!
Bjoo

cris alcântara disse...

menina do céu, seu blog anda melhor do que nuncaaaa!

ANNELIZE CAMARGO disse...

Na minha cidade Bagé RS, o dia de colocar as velas na janela é hoje 24 de maio dia de nossa senhora auxiliadora, mas tem uma história que,as esposas dos guerreiros colocavam a vela na janela também a espera de maridos e filhos guerreiros,...

Graça Lyra disse...

Nossa!! Eu também guardo na memória as velas nas janelas nesse dia!! Que lembrança boa !!