sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Fofoca

Peguei minha sobrinha Lara, de 5 anos, e fui comer um sanduíche no Mac Donald's (é, eu devia ensinar hábitos melhores, mas eu também adoro!). Enquanto comíamos ela me pergunta:

- Tia Nine, o que é que você faz mesmo?

- Sou jornalista.

- O que é isso, que eu não estou lembrando? -, ela questiona revirando seus adoráveis olhões.

Explico. E ela vai confirmando suas pequenas teorias sobre o jornalismo tecendo um ou outro exemplo sobre o assunto e chega a conclusão de que eu escrevo as histórias que me pedem.

- É mais ou menos isso -, eu digo.

Ela põe mais algumas batatinhas na boca, pensa um pouco e, como se quisesse me dizer que também é capaz de exercer a função, ela solta:

- Tia Nine, você nem imagina! Eu já aprendi um monte de palavras na escola.

- Nossa! Que legal Larinha! E de qual delas você mais gosta?

Depois de me explicar que só não gosta da palavra bolacha, ela manda:

- Fofoca!

Gente, será que essa menina pegou o espírito da coisa? Prefiro acreditar que ela esteja apenas na fase do "F".

10 comentários:

Pablo Alcântara disse...

Bom, pra ser jornalista até que ela tá começando bem!

Cássia disse...

Eu e Fábio estamos aqui rindo de sua historinha. Adorei. Tomara que ela esteja aprendendo palavras com a letra "F".

Richard disse...

Tá aí uma coisa que me intriga: a diferença entre bastidores e fofoca. Vez em quando me pego na dúvida sobre qual é o limite ideal na reprodução de fatos, para que uma coisa não seja confundida com outra. Difícil isso, não???

Gra Porto disse...

Hahaha...esses dias minha priminha de 3 anos pediu pra eu levá-la ao shopping pra andar de escada "romântica".

Aline Leonardo disse...

E ela bem que tem razão, hein Gra?

Carlos Eduardo Reche disse...

Adorei o blog, Aline! Belos textos. Saudade d'ocê!

Daniela Taguatinga disse...

A Larinha é surpreende todos a cada minuto que passa! Também espero que ela esteja, por enquanto, na letra "F".

Honestino Afonso Xavier disse...

Ola..
passando novamente pelo seu blogger..Que Deus continue iluminando seu caminho e abençoando sua famlia..principalmente as novas gerações.

abraços

Patrícia Papini disse...

Não estou nada surpresa. Trata-se de Lara e seus comentários desconcertantes. É mais uma herança que vc deixou. Desconcertante, amiga. Beijocas e depois a gente vai tomar um café com fofoca,ok ? KKKKKKKKKKK

Paulo Marques disse...

É minha querida, muito difícil resistir à tentação do capeta: contar aquilo que ficou sabendo que alguem falou do que outro viu.
Acho difícil ensinarem uma palavra tão grande para uma criança de 5 anos. As professoras das fases iniciais optam por palavras menores e com sentido mais concreto e específico como "faca" ou "foca". Capaciddade de abstração só será desenvolvida alguns anos depois.
Provavelmente a pequena deve ter passado por um treinamento comportamental do tipo vivencial e a "tia" esperta aproveitou o "mulequinho" que veio dar com a língua nos dentes.
Na verdade, antes mesmo de aprender a falar já aprendemos a fofocar. O dedinho indicador em riste apontando em gargalhadas para o tio peralta é o início da carreira jornalística, digo, do exercício desta vontade louca que dá de dizer para alguém que você foi o primeiro a ficar sabendo.
Assim como os jornalistas, nós psicólogos também temos uma luta diária para não confundir inferência com fato e fazer m...

Beijos do Paulo