quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Elétrica, solar e eólica?

Oi Aline,

Sabe, eu sempre torci o nariz para essa expressão: "energia"

- Nossa! A energia desse lugar é incrível!
- Você viu a fulana hoje? Tá com uma energia tão negativa.

Parece papo de esotérico.
Era assim até ontem.

Tô atravessando uma fase negra.
Inferno astral é eufemismo.
Mas bastou ver aquele seu sorriso de 5.000 volts pra eu sentir a energia.
Uma energia boa.
Que veio em ondas.
E que, por um breve momento, me fez esquecer os perrengues.
E me fez acreditar tudo vai ficar bem no final.

Beijos.
Muito bom te ver.
Mesmo que de relance (aquela fila de carros atrás de você iria te apedrejar se demorasse mais um pouco)


Recebi esse e-mail de um amigo querido, que tem um interior sensível e lindo. Um amigo que vê a vida com a dignidade de um leitor interessado e que tem uma sensibilidade fantástica. Um amigo de quem já fui mais próxima e com quem passei manhãs adoráveis e compartilhei alguns dos meus melhores cafés da manhã. Resolvi dividir essa carta carinhosa com vocês porque, justamente hoje, pensei em escrever sobre energia.

Com essa história de ser 09/09/09, engatei um papo astral com um colega de trabalho e chegamos a conclusão de que as pessoas, independente do que pescam vida afora, trazem essa coisa visceral (que resolvemos chamar de energia), essa identidade espiritual e não escapam de ser o que são. Somos alegres ou não. Somos contidos ou não. Somos falsos. Somos tristes. Somos decepcionados. Somos amargurados. Somos artificialmente felizes. Somos belicosos. Somos ariscos. Somos. Mas, acima disso, trazemos essa energia e ela fica tatuada, colada, como uma roupa da qual não se despe.

Meu amigo foi generoso comigo. Mas, sou alegre sim, até quando sou triste. E não, não há escapatória para o meu “ser”. Talvez seja essa minha sina, talvez seja essa a grande piada da minha vida. Comentava com esse colega de trabalho sobre como somos impotentes diante desse espelho que são as pessoas com as quais convivemos, de como é inútil tentarmos “parecer”.

É engraçado porque, na semana passada, escrevi um texto aqui no Caneca sobre a angústia de um personagem imaginário, uma mulher que sofria por ser obrigada a calar sentimentos e que era confrontada com a atitude de uma amiga que lhe desejava silêncios, quando sua necessidade era o grito, o desabafo. Texto mais pastoso, diferente dos costumeiros e digeríveis devaneios habituais do blog. Muitos amigos me escreveram ou comentaram que o texto não tinha nada a ver com comigo. Um deles me escreveu via depoimento no Orkut: “texto denso, diferente de tudo que você escreve. Você sempre usa leveza e muita ternura.”

Talvez a alegria seja mesmo minha marca mais ressaltada, pelo menos para alguns amigos que, como este do e-mail acima, me lêem com generosidade. Tenho “eus” mais sorumbáticos e impacientes e amigos menos magnânimos. Mas, não posso negar que alimenta minha fé a idéia de um sorriso melhorar o dia de alguém. Se isso é energia, caro amigo do e-mail, fico feliz de ter uma assim. Mas, é preciso dizer que quem tem a sensibilidade de alterar seu próprio dia por causa de um sorriso, tem de ter uma energia melhor ainda.

10 comentários:

Pablo Alcântara disse...

Tem gente que inspira a gente a dar sorrisos em encontros casuais. Você vê e simplesmente sorri. Abertamente. Porque é bom avistar a pessoa. Esses são os melhores, fazem bem a quem oferece e a quem recebe o sorriso. Mas repara, tem gente que também ganha nossos sorrisos, mas são aqueles sorrisos bem horizontais, nada convexos.

Luisa Dias disse...

Você tem esta energia mesmo... Não é elétrica, solar, nem eólica. É uma energia Aline Leonardo 100%, que provoca muitos sorrisos em quem te vê e em que fala de você. Percebi isto mesmo antes de te conhecer. Então, a carta foi muito generosa, mas porque você mereceu mesmo...

Deire Assis disse...

Pode ter certeza: alegria, energia, esta é a sua principal marca. Up!

Puxa, e como é bom pensar que tem gente assim no mundo, que escreve um email desses a um amigo querido...

Bjos iluminados pra você!

Cristian de Almeida disse...

Eu sou um dos que fala sobre energia, apesar de não saber exatamente ao pé da letra exotérico, mas por falta de explicação melhor para alguns momentos na vida da gente que dá uma alegria do nada ou mesmo uma tristeza incontida, eu nomeio como algum tipo de energia.. e você pode ter certeza que algum dia já foi contada por mim como aquela da energia positiva, energia boa, e que no final das contas, é alguém que trás o bem à cada dia pra esse mundo de uma forma ou de outra..
.. e sim, o dia fica muito melhor quando recebemos um sinal de alguém querido, seja um sorriso, seja um telefone, seja um email...

Gra Porto disse...

Vc parece ter sempre um humor leve, bom. Eu qdo tô triste ou nervosa, dizem alguns amigos q fico mais engraçada.

Marco A. Vigario disse...

Sua energia é nuclear! ;-)

criadora de orquídeas disse...

Meu amor! Hoje resolvi reler seu texto sobre o "silêncio", com outro entendimento. Amei. E lá vou eu, sem ler sobre o "elétrica, solar e eólica", dizer que tudo que vem de vc "é energia".E ainda tem gente que acha que vc expande energia nuclear...Pode?????
Viu só o retorno?

Paulo Marques disse...

É,minha querida, seu sorriso é energizante. Seu abraço então, nem se fala.
O poema não foi escrito inspirado em você, mas bem que poderia sê-lo. Beijos.

"Feliz é todo aquele que adquiriu o precioso dom de transformar um quase-nada em quase-tudo.
Feliz é aquele que sabe dar valor quase infinito a um simples sorriso de bondade debruçado nos lábios de alguém querido,
de um irmão..." (Para Ser Feliz, extraído de http://recantodasletras.uol.com.br/autores/marquespsi)

Clau Finotti disse...

Entrei no seu espaço, te segui e nem deu tempo prá comentar...rs... Comecei na comunidade do TJ do Orkut, e de página em página cheguei nesse blog liiiindo! Vc é uma artista das palavras e com grande admiração comecei a acompanhar. Já nos falamos algumas vezes por conta de uns eventos em Itumbiara, no Fórum, não sei se você se lembra. Eu estou começando a querer escrever. Um dia consigo. rs... Abraços e ótimo final de domingo. A propósito, Biafra também é cultura...rs...

Juliana Faleiro disse...

Oi Aline com relação a essa curiosa data, sou do dia 09/09. Beijos, só passei para dar um alô.