terça-feira, 30 de junho de 2009

Primo rico, primo pobre

Meu pai me contou há alguns dias que a historiadora Esther Barbosa Oriente, se referiu no livro Dom Pedro II, Imperador da Cultura (Editora Kelps, 445 págs) ao parentesco de minha família (Abreu) com a de d. Pedro II, citando, inclusive, o nome de uma prima minha na obra. Gente, vai dizer que vocês ainda não tinha notado toda a minha realeza? É claro que sim! Essa pessoa loira, articulada, chique, elegante, amante dos bons vinhos e loooooouca por champanhe só podia ser da realeza!

Nome também conta né, gente? Pois é, apesar de eu não ter o tradicional Maria combinado com um nome bem antigo e bem feio, Aline significa fidalgo, nobre. Fino, fala a verdade? Porque vocês imaginem seu me chamo Rosilene, Gracilane, Charlene ou Rosicleide? Além do mais, como uma boa nobre, eu carrego quatro nomes, um deles em homenagem ao meu bisavô. Coisa de gente fina. E solteira. Porque casada, vou ter que acrescentar mais um. Mas, não pode ser Silva, Souza essas coisas, porque aí queima o filme, né? Ainda bem que chegou ao fim a Era Sapos!


Geeeeeente, nasci pra esse negócio de realeza, de ser princesa, rainha, essas coisas. Não, e sabe qual era minha história preferida quando criança, aquela que o príncipe, pra descobrir qual das suas pretendentes era a verdadeira princesa, colocava um grão de ervilha debaixo do colchão. Eu tinha cer-te-za que eu conseguiria descobrir a ervilha, mesmo se ela tivesse debaixo de 10 colchões fofinhos.


Ai ai, mas, olha até eu descobrir essa ervilha... santo Deus! Mas, na verdade, na verdade, na verdade, trabalho assim alucinadamente por hobby, né? Mas, com essa história, estou revendo isso. Afinal, a nova moda agora, imposta pelos parentes ingleses, é a realeza querer se misturar com seus súditos. Além do mais, valorizei meu passe, né? Também, não é todo mundo que tem alguém do ramo de Petrópolis em seus quadros. Por um bom salário, concedo a honra de ficar. Vai ser bom pra imagem.


O chato nessa história toda é que descobri que estou de luto. Meu primo de Petrópolis foi umas das vítimas do 447, que fazia Rio - Paris. Até pra morrer essa gente é fina, né não?


P.s: Se for me deixar um comentário, não esquece o Vossa Alteza, tá?

9 comentários:

Pablo Alcântara disse...

Humm, sei não hein, pra mim vc tá mais pra Rochelly.

brincadeirinha...

Aline Leonardo disse...

Rochelly de Orleans e Bragança!
kkkkkkkkkkkkk

Gra Porto disse...

Tô bege. Não. Tô fúcsia com tanta nobreza...hahahaha

Rimene Amaral disse...

já mandei fazer nosso roteiro. 3 países em, pelo menos, 21 dias. vossa alteza paga!
amo vossa alteza. beijos!
save the queen, save the princess...

Cinthya disse...

Aline, já vou me desculpando por ser futriqueira, mas, pelo blog da Paty, acabei lendo os seus posts e, confesso, passei a visitá-lo toda semana. Eu ganho o dia desde os posts mais emocionantes aos mais engraçados. Acho que tenho é que agradecer!!!
Bjos

Patrícia Papini disse...

Pois então, data vênia, Vossa Alteza tinha de começar a beijar os sapos certos. Porque há principes que andaram aparecendo por aí que estão mais para sapos disfarçados de príncipes do que para príncipes disfarçados de sapos. Sendo uma princesa sempre tão cortejada, que tal dar uma chancezinha para o principe G. Andreazza, esse sim, um verdadeiro lorde ????

Leo Gomes disse...

Coisa linda, tu tá me devendo um almoço. Mas, com essa parada de nobre, se tiver um tempinhozinho em sua real agenda... Ve se aparece.

Maíra disse...

Rochelly's, o seu salão de beleza!
Ou realeza, né...sei lá...

Mônica disse...

Ai, amiga, meu blog deve estar louco feito a dona, kkk! Estava vendo seus 'coments', ehehe! Aproveitei e coloquei a leitura do seu em dia! Ameeei de paixão seu texto sobre A FILHA MALDITA, impecável, poesia pura, uma delícia de ler e compartilhar estes momentos tão caros para vc, amiga! E vossa realeza vê se arruma um tempinho para a plebe rude aqui, viu???kkk Beijão