segunda-feira, 7 de julho de 2008

Zappeando

Hoje liguei a tevê. Mas, pra ver um filme, A Espiã. Impressionante como esse gesto de ligar a tevê é cada vez mais raro. Nunca fui de prestar muito atenção no que a caixinha colorida mostra, mas sempre me deu uma sensação de lar aquela musiquinha do Jornal Nacional. Então, durante muito tempo deixei no automático a rotina de chegar em casa, apertar o botão de ligar, pegar o livro da vez e me sentar de frente da tevê pra ler! Se não fosse um livro era uma outra coisa, mas a tevê estava sempre lá como alguém da família que fala muito e ninguém escuta.

Tenho de ser justa e confessar que também já tive momentos de solidão em que ela foi amiga. Dias em que ela me fez companhia nas muitas noites em que o sono não vinha por motivos muito justificáveis. Mas, enfim, talvez porque estão cada vez mais distantes as lembranças da família junta jantando com o barulhinho das notícias ao fundo, esse gesto tem ficado esquecido, quase extraordinário.

Não que eu não goste de tevê. Gosto sim. E ainda me surpreendo com coisas bacanas como CQC, da Band. Mas, com a velocidade em que as notícias chegam à net, a tevê – agora agregada ao computer - se tornou mais seletiva e tem, sim, perdido espaço na minha vida. Acho tudo meio repetitivo ultimamente e é hors question ligar a tevê no domingo só de medo de ouvir a voz do Faustão, ou pior, do Tom Cavalcante! Cruz credo mangalô três vezes!

Acho que a tevê - aberta - precisa sair desse modelão antigo, cansativo e tão desestimulador, dessa fórmula que emburrece e insulta o telespectador. Estou enganada ou li em algum lugar que as audiências das novelas da Globo estão despencando? Novela no Brasil tem papel importante e eu ousaria dizer que muitas vezes até educativo. Mas, não posso negar o prazer que sinto em saber que as pessoas estão aprendendo a viver suas próprias vidas, se tornando protagonistas de suas próprias decisões! Eu descobri que sou a mocinha faz tempo e a tevê estava desligada! Se é que vocês me entendem.

Um comentário:

Maíra disse...

Também preciso de algo inteligente na tevê. Até porque, sinto necessidade de voar no pescoço de certos apresentadores que respondem às perguntas que eles mesmos fazem às celebridades...