domingo, 15 de junho de 2008

Troco

Uma amiga me ligou outro dia agradecendo o conselho que eu dei para que ela tratasse com mais amor um namorado brigão e não desistisse de dar a ele um presente que havia preparado com carinho. Deu certo.
Não resisti e me peguei dizendo:
- amor é isso, amiga: dar, dar, dar! kkk
Piada à parte, fica aí uma reflexão antiga (achei esta noite anotado num extrato de banco dentro de um livro) de uma época em que eu mesma não entendia essa matemática.

Meus olhos são assim
Tem algo assim
Entre a tristeza
e a certeza de que você não vem

E de que me valeu tanta beleza?!
Tanta perfeição, tanta esperteza?

De tudo que eu vivi,
sobrou o que eu não dei.
Me voila: troco!

Um comentário:

Honestino Afonso Xavier disse...

bom dia...

que a tristeza não seje parte de nossas vidas, nem de nossos cotidianos, apesar dela inssistir em bater nossa porta, suas palavras contém o líquido da vida, pode-se notar que vc escreve com prazer, e passa uma suavidade no dizer... gostei ler algumas narraçoes que vc fez... abraços... quando der visite o meu blogger ..e comenti..